SEO: 9 Mitos Que Importa Esclarecer Para Uma Boa Posição No Google!

SEO

SEO: será mesmo a fórmula milagrosa para conseguir um bom posicionamento nas páginas de resultados do Google e garantir acessos orgânicos? O que é verdade e o que é mentira? Todos têm opinião sobre SEO, a todo o momento surgem novas indicações do que se deve ou não fazer e nem sempre são consistentes, algumas até se contradizem! Não desespere, vamos desfazer alguns dos mitos mais enraizados para que não se perca nesta empreitada!

 

Mito 1: Um bom conteúdo é o suficiente para um bom posicionamento

Quando a ideia de que o “conteúdo é rei” se instalou toda a gente começou a basear a estratégia de SEO nisso. E a verdade é que isso foi suficiente, no passado e em alguns casos, para um bom posicionamento nos resultados do Google. Hoje em dia, um bom conteúdo, rico, de qualidade e original, bem escrito, pode alcançar boas posições mas isso vai depender da palavra-chave e da sua concorrência. Vamos supor que todos os conteúdos do nicho para o qual está a concorrer são ótimos e muito bem escritos, o que é que o vai ajudar a diferenciar-se para posicionar-se na página dos resultados? Outros fatores.

Que lição é que se pode retirar disto? Um bom conteúdo é muito importante para conseguir boas posições mas não chega. O Google quer cada vez mais oferecer a melhor experiência a quem pesquisa, a melhor informação, a mais completa e a mais adequada à procura efetuada pelo que sem dúvida um bom conteúdo é fundamental e continua a ser um fator muito considerado. Contudo existem muitos outros fatores que influenciam o posicionamento de um site pelo que devem ser considerados e trabalhados numa boa estratégia de SEO.

 

Mito 2: Usar meta keywords melhora o posicionamento no Google

Esta foi uma prática que resultou durante muito tempo mas há anos que o Google aboliu o uso de meta keywords como fator para posicionar um site. É absolutamente incrível como ainda existem sites que usam “meta keywords” pensando que são uma boa prática SEO e uma forma de se destacar perante o Google. Conta zero. Se esta era uma prática que fazia parte da sua rotina, risque-a da lista. Podia ser indiferente mas a verdade é que fazê-lo até pode ser contraproducente para si e para a sua empresa já que expõe o seu direcionamento em SEO. Qualquer um pode inspecionar o código fonte e ver as palavras-chave que prioriza nas suas estratégias.

 

Mito 3: Google Adwords influencia nos resultados orgânicos

Este mito existe desde que passaram a coexistir resultados pagos e resultados orgânicos. Vamos ser claros: anunciar no Google não vai influenciar nada a posição nos resultados orgânicos. São duas coisas totalmente diferentes. O Google tem critérios para determinar o posicionamento dos sites de forma orgânica e tem outros critérios para definir se um site deve ou não estar nos primeiros lugares na área de anúncios.

Contudo, uma pequena ressalva, não é por serem dinâmicas diferentes, que não devem ser usadas em conjunto. As empresas que queiram a primeira posição no Google, aumentar o tráfego do seu site e até mesmo a sua taxa de conversão, devem optar por trabalhar conjuntamente uma estratégia de SEO com links patrocinados, como aqui já explicamos.

 

Mito 4: Meta description tem peso para um bom ranking

A meta descrição é uma componente importante das otimizações on-page de um site, fornece informações sobre o mesmo, é uma indicação sobre o seu conteúdo na página de resultados mas a verdade é que não é um critério definido pelo Google para determinar posições na página de resultados. Contudo, isto não retira a sua importância como boa prática já que se for bem escrita e clara, pode aumentar os cliques nas suas páginas. As pessoas sabem à partida o que vão encontrar e sendo o que procuram, clicam com mais facilidade.

 

Mito 5: Usar o WordPress para evitar trabalhar em SEO

Esta é uma ideia feita quanto ao WordPress e um erro clássico que muitas pessoas cometem. O WordPress é uma plataforma para construção e gestão de sites que chegou e conquistou o mercado por ser prática, intuitiva e ao alcance da maioria das pessoas, já que é fácil de manipular e qualquer pessoa é capaz de usufruir das suas funcionalidades, independentemente dos seus conhecimentos na área. Como começou a tornar-se popular, foi sofrendo evoluções e surgiram vários plugins para facilitar as otimizações de SEO.

Usar WordPress para ajudar em SEO passou a ser uma recomendação instituída mas aos poucos foi assumindo o seu papel atual de garantia de um site perfeitamente arquitetado para SEO mas que ainda assim exige trabalho. O WordPress necessita de cuidados e atenções especiais quando o assunto é SEO. É preciso selecionar quais os melhores plugins de SEO que se adequam ao seu caso e realizar todas as outras otimizações que não dependem desses plugins, otimizar cada página e ter o olhar crítico e observador de uma pessoa. O WordPress é um bom aliado mas não faz o trabalho sozinho, pode ser o seu melhor amigo em matéria de SEO mas requer atenção e trabalho.

 

Mito 6: Quanto maior o tamanho do conteúdo, maior a possibilidade de estar nas primeiras posições

Este é um assunto controverso, que continua a merecer discussão por entendidos da área com diferentes posições sobre o tema. A verdade é uma: até hoje nunca foi provada a existência de uma relação entre a quantidade de palavras de uma página e um melhor desempenho na pesquisa orgânica.

O que acontece muitas vezes é isto: o Google quer sempre mostrar o melhor resultado para quem está à procura, aquele que vá de encontro às suas necessidades e que responda a todas as suas dúvidas. É natural que a página que apresente um conteúdo mais extenso sobre a palavra-chave pesquisada abranja mais perspetivas e pontos de vista sobre o assunto do que outra página com um conteúdo menor. Contudo, a relação não é propriamente sobre a extensão do conteúdo mas sobre a sua qualidade, como já referimos acima. É certo que geralmente um conteúdo de qualidade tende a ser extenso mas esta não é uma regra de três simples. Há textos mais concisos que conseguem ser mais úteis, completos e ricos do que outros mais extensos que não explicam nada. 

 

Mito 7: Qualquer link é um bom link

Para além de ter em consideração a autoridade da página de um link, os motores de pesquisa também analisam o texto em torno de um link para determinar a relevância do conteúdo. Conseguir um link de um site com um PageRank elevado mas que não se relaciona com o assunto do seu site, terá pouco ou nenhum efeito sobre a classificação. Links externos funcionam bem mas importa que estejam relacionados com a sua área. De nada adianta ter dezenas de links que redirecionam para o seu site se não estão inseridos nessa área de negócio ou não oferecem serviços e produtos complementares aos da sua empresa. Os motores de pesquisa avaliam a similaridade do conteúdo dos diferentes links. Qualquer link não é um bom link, se um link é irrelevante para o conteúdo é simplesmente irrelevante.  

 

Mito 8: Garantia de primeiro lugar no Google de forma imediata

É impossível prometer algo do género, já que estar em primeiro lugar no Google não depende apenas de quem faz a promessa e da qualidade do seu trabalho mas de vários outros fatores como a concorrência, a palavra-chave escolhida e o mais importante de tudo: o Google. São os motores de pesquisa que determinam o posicionamento dos sites e isso não é manietável nem previsível.

Contudo, é sabido que a execução coerente e consistente de boas práticas SEO, a médio prazo, digamos entre seis meses a um ano, resulta num bom posicionamento na primeira página de resultados. E que, consoante a concorrência existente na área do negócio, este processo pode ser mais rápido ou não.

 

Mito 9: SEO é estático e só se faz uma vez

 Este é um erro muito comum. Otimizar as páginas de um site não é algo que se faz uma vez e está feito. As boas práticas de SEO estão em constante mutação, estão sempre a surgir novos critérios de posicionamento e a ser desconsiderados outros pelo que é uma estratégia que exige ser ajustada às atualizações dos motores de pesquisa. SEO é um processo contínuo que precisa de ser adaptado e um bom trabalho de SEO pode durar anos mas quem dita as regras são os motores de pesquisa.

 

Abordamos aqui alguns dos mitos mais comuns no que toca a estratégia de SEO mas oportunidades não irão faltar para voltarmos a este assunto, que tanto dá que falar.  Ainda assim julgamos que a desmistificação destas 9 ideias em muito o vão ajudar a perceber quais as boas práticas que deve priorizar para garantir o melhor posicionamento orgânico do seu site. Tenha apenas presente que convém que se mantenha sempre atualizado sobre este assunto. O que hoje é regra, amanhã pode não ser, o que hoje é válido, amanhã pode não ter peso nenhum. Com empenho, coerência e consistência, seguindo as regras e tendo sempre isto em perspetiva, acredite que vai ver resultados. Conte sempre connosco para esclarecer qualquer dúvida que tenha e diga-nos o que pensa. Queremos ouvir a sua opinião!

 

Esquecendo aquilo que são os mitos ligados ao SEO, a verdade é que existem boas práticas que neste momento lhe estão associadas e que devem ser seguidas.  Como sabemos que não é fácil tê-las sempre presente, preparamos para si uma checklist mais completa para o ajudar neste trabalho, no dia-a-dia. Assim, nunca se vai esquecer de nada! Se ainda não teve oportunidade de baixar a checklist, pode fazê-lo agora, gratuitamente.  

 

Caso pretenda melhorar o marketing digital da sua empresa, oferecemos uma avaliação do mesmo, totalmente gratuita , sem qualquer compromisso, com dicas valiosas para que potencie os seus resultados. Aproveite a oportunidade! 

SEO_3