Palavras-chave: 5 passos para escolher as mais eficazes

palavras-chave

Palavras-chave são termos estrategicamente escolhidos para os conteúdos que se pretende produzir. Ajudam a posicionar o nosso site ou blog em lugares cimeiros nos motores de pesquisa. Para alcançar isto, é fundamental fazermos uma boa verificação de palavras-chave, seguir uma lógica e utilizar as ferramentas adequadas.

Muitos artigos versam sobre esta questão das ferramentas e suas funcionalidades. No entanto, poucos abordam o raciocínio por detrás da análise das palavras-chave. Por isso mesmo, vamos explicar, passo-a-passo, práticas para a definição de palavras-chave e da sua estratégia, bem como para a pesquisa das mesmas.

Neste artigo, iremos focar a pesquisa e análise de palavras pensadas para o Google. Percorra estes cinco passos para escolher as mais eficazes palavras-chave.


1. Elaborar lista de palavras-chave

 

A melhor maneira de perceber que palavras-chave utilizar é elaborar uma lista de palavras que definam o seu negócio, que se ajustem ao tipo de serviço ou produto. Pode também colocar-se no lugar dos potenciais consumidores e perceber como estes poderão pesquisar os seus produtos.
Nesta fase inicial, é importante criar essa listagem, sem qualquer restrição, e abordar todos os termos possíveis associados à sua atividade.

 

2. Criar o primeiro filtro: Planeador de Palavras-Chave do Google

 

Após ter uma lista, que surgiu do conhecimento e perceção do negócio, está na hora de criar a primeira segmentação. Coloque as palavras-chave que constam dessa listagem no Planeador de Palavras-Chave. Isto vai permitir saber o volume perspetivado para as mesmas, numa determinada zona geográfica e temporal.
Com esses dados introduzidos, a ferramenta criará outra lista de palavras relacionadas e de termos que nem sequer tinha pensado. Por exemplo, para a palavra-chave “centrais telefónicas”, dificilmente associaríamos a palavra “Pabx Telefone”. Contudo, nos registos de pesquisas feitas, o Google mostra-nos que estão diretamente associadas.

Esta lista é muito importante, pois o Google sugere com base nos resultados de pesquisas efetivamente feitas pelos utilizadores. Nunca mencionará palavras que não tenham pesquisa no motor de busca.
Com estas duas listagens disponíveis, deve efetuar uma cuidadosa seleção, de acordo com o volume de pesquisa, mas também tendo em conta as palavras que melhor definem o seu negócio.

 

3. Aplicar um segundo fitro: Keyword Suggest by Google

 

Depois de ter obtido duas listas e selecionado as palavras-chave mais adequadas, é hora de usar o próprio motor de pesquisa para encontrar procuras relacionadas.
Abra um navegador em modo anónimo, pesquise pelo termo e veja as sugestões relacionadas. Faça depois uma recolha das que parecem associadas à sua atividade ou estratégia de Marketing Digital.

Após ter registado uma boa quantidade de palavras-chave, volte à ferramenta Planeador de Palavras-chave e verifique o volume de pesquisa das mesmas.

 

4. Porque um terceiro filtro nunca é demais: Google Trends!

 

Utilizar esta ferramenta ajudará a entender que pesquisas são efetuadas no território onde o seu negócio atua. Simultaneamente, permite identificar algum termo que possa ser tendência na sua área de atuação e que não esteja na listagem.

 

5. Analisar é fundamental!

 

Depois de ter uma lista de palavras-chave cuidadosamente selecionada, é essencial analisá-la. Um dos indicadores a ter em conta será sempre o volume de pesquisas. Quando este é elevado, significa que há um grande interesse por parte das pessoas em encontrar soluções para essas temáticas.

Importa ter em atenção o período respeitante à pesquisa das palavras-chave. Quanto mais recente, mais fidedignos poderão ser os dados. Contudo, esta regra não se aplica a todos os termos. Há palavras que são sazonais e que são mais pesquisadas em determinadas alturas do ano. Uma boa prática é analisar o volume de pesquisas durante um ano e, caso existam disparidades entre meses, talvez esteja perante uma palavra sazonal. Se não existirem, o melhor será considerar os dados mais recentes.

Há que ter uma regra em atenção: o volume que é dado no Planeador de Palavras-Chave é o que representa todos os tipos de pesquisa, ou seja, a exata, por expressão ou ampla. Estas indicam o comportamento dos utilizadores. Há quem pesquise apenas a palavra, outros procuram-na como expressão e há ainda quem adicione termos. Veja este exemplo, usando a palavra-chave “batatas”.

  • Pesquisa exata: Batatas
  • Pesquisa por expressão: Batatas para vender
  • Pesquisa ampla: batatas vender, batatas baratas

Esta informação é importante porque se quiser indexar uma palavra-chave de pesquisa exata, como por exemplo “batatas”, o volume de pesquisas apresentado no planeador não é real. Não corresponde com rigor às procuras efetuadas daquele termo em concreto mas à pesquisa ampla da palavra-chave “batata”.

 

Principais métricas para análise de palavras-chave

 

  1. Além do volume de pesquisa, verifique se as palavras-chave têm intenção de compra associada. Esta indica se a palavra é a resposta a um problema. Imagine que tem uma loja online que só vende casacos. Seria necessário verificar se a palavra-chave estava diretamente relacionada com o produto que vende (casacos) ou com uma característica do mesmo (malha, fechos, botões). Neste caso, é vantajoso utilizar palavras-chave associadas ao produto. O objetivo é vender. Agora suponha que o que essa loja pretendia era divulgar tendências de casacos. A escolha da palavra-chave não tinha que estar relacionada com intenção de compra direta. Assim podiam ser utilizadas palavras-chave como “tendências de primavera em casacos” ou “botões coloridos para casacos”.
  2. Outra métrica é o posicionamento atual do seu site. É importante saber em que posição o seu site está para determinada pesquisa de palavra-chave. Isso vai permitir identificar oportunidades. Estas medem-se pela sua condição vs a condição dos concorrentes. Utilize ferramentas de análise SERP para confirmar essa posição.
  3. Volte a pesquisar as palavras-chave no Google e veja os resultados relacionados. Os seus concorrentes oferecem os mesmos produtos? Se sim, então significa que as palavras-chave têm relevância. Esta prática permite-lhe com segurança verificar que essas palavras-chave são as mais adequadas para se posicionar em pesquisas de interesse para o seu negócio.
  4. É necessário apurar que palavras são relevantes a nível de contexto. Isto é, verificar quão próxima determinada palavra está do objetivo da comunicação. Voltemos ao exemplo da loja de casacos. A palavra-chave “fecho” pode ser fecho do casaco, mas também pode ser a hora de fecho. Importa avaliar cada palavra-chave sobre o âmbito no qual poderá ser usada ou estar associada. Se existirem muitos termos relacionados, a abrangência é grande e o contexto também. Aconselhamos a que faça essa pesquisa e categorize as palavras-chave consoante o número de termos associados. Por exemplo, uma palavra-chave com mais de três termos associados já é muito pouco precisa.
  5. Por último, caso tenha acesso à informação das campanhas de ppc, avalie os seus termos de pesquisa consoante o número, o custo e a taxa de conversão. Em palavras-chave associadas à intenção de compra, este tipo de análise favorece a perceção da relevância destas para o negócio. Por exemplo, para a loja online de casacos, poder-se-á concluir que a palavra-chave “casacos mulher” converte mais do que “casacos senhora”.

 

Se, depois de ler este artigo, tiver alguma dúvida sobre como selecionar as melhores palavras-chave, não hesite em expô-la nos comentários. Estamos sempre prontos a ajudar. Por isso, partilhamos consigo uma checklist de SEO que o ajudará a organizar a sua estratégia de Inbound Marketing! Faça o download gratuito neste link ou na imagem abaixo.