Facebook: 9 dicas para publicar com o melhor desempenho!

Facebook

Facebook é a rede social que toda a gente quer dominar. Já abordamos muitas vezes aqui no blog assuntos relacionados com redes sociais. Há muitos temas e prismas que podem dar azo a um novo artigo, muitas dicas, muitos conselhos úteis, muita estratégia que pode ser referida. A informação abunda. Mesmo especificamente sobre como publicar e o que publicar, há imensas teorias associadas. Escrevo-vos com o conhecimento prático que adquiro todos os dias, através da gestão de várias redes sociais dos nossos clientes. Reparem, escrevi adquiro e não adquiri. Porque todos os dias aprendo, essa informação nova coloca em xeque-mate teorias e práticas tidas como boas ou úteis e depois, sim, há esse pequeno – grande! – pormenor que é a tirania do Facebook, que mistura as cartas todas e atira-as sem ordem para cima da mesa.

Referi intencionalmente o Facebook porque, de todas as redes sociais, é a que nos permite monitorizar melhor o resultado das nossas publicações e porque continua a ser a rede social obrigatória para todos aqueles que queiram estar junto das pessoas. É a rede mais utilizada em Portugal, independentemente de podermos, ou não, considerar mais útil para determinado tipo de negócios. Plenamente de acordo, abordaremos isso futuramente num novo artigo. Entretanto, vamos às dicas. Hoje pretendo ser prática.

 

1. Testar várias horas e diferentes dias

Como dizer isto de outra forma, mais simples, mais leve? Impossível. Há que testar e testar! Diferentes horas, diferentes minutos, dentro da mesma hora. Testar de manhã, à tarde e à noite, testar isso tudo, todos os dias. Testar variações e apontar tudo. Por incrível que possa parecer, diferenças de minutos geram diferentes alcances e reações.

Só após testes e testes, perante dados numéricos, é que se tiram conclusões.

 

2. Analisar melhores horas de publicação

Analisar, sim. Fazer disso um comportamento tirano, metódico e rigoroso, não.

Os picos de audiência que o Facebook nos transmite, através do gráfico de curvas, nem sempre têm o impacto desejado nem são sinónimo de serem, naquele dia, os melhores momentos para partilha, pelo menos do conteúdo que se deseja. Não é pelo facto das pessoas estarem no Facebook, que vão estar disponíveis para o conteúdo partilhado.

Aqui começa o jogo de ancas. Testar várias horas, como dissemos acima, ter em conta os picos de audiência e experimentar com diferentes conteúdos.

O que consegui concluir já?

- Há determinados conteúdos que resultam melhor nas horas de almoço, outros ao final da tarde e outros à noite.

- Há conteúdos que têm melhor desempenho, num determinado dia, em períodos fora do pico de audiência porque, apesar de estarem potencialmente menos pessoas online, as que estão, têm disponibilidade para absorver e interagir com aquele conteúdo.

 

3. Não há regras idênticas para todos

O que é válido para uma página de um determinado tipo de negócio, não é necessariamente uma regra útil ou benéfica para outra empresa.

É necessário testar e experimentar por si mesmo.

 

4. Há dados inconclusivos, inexplicáveis ou que nunca seremos capazes de manietar

Isto é um facto e é melhor que nos habituemos a ele. Por muito esforço que haja em testar horas e horas diferentes, com vários conteúdos, registar tudo, analisar com atenção e concluir, nunca seremos possuidores de uma fórmula mágica para potenciar todas as publicações ao máximo.

Por exemplo, se uma determinada publicação teve um alto desempenho numa terça-feira, às 18h32, não quer dizer que toda a vez que se publicar aquela rubrica à terça-feira, às 18h32 o desempenho se mantenha. Será com certeza melhor publicar nesse momento do que noutras alturas? Acredito que sim, senão todo este trabalho seria em vão. Mas não espere sempre resultados similares. Umas vezes serão piores, outras melhores.

Há outros fatores, muito para além das melhores horas e das pessoas disponíveis para determinado conteúdo, que entram em consideração. O próprio conteúdo em si pode ser determinante. É a mesma rubrica mas aborda assuntos diferentes, por exemplo.

Habitue-se à ideia: testar muito, tirar ilações e mesmo assim, pouco concluir. O que não quer dizer que não seja útil. É muito, por isso coloquei os testes em primeiro. Publicar em redes sociais implica testar, mas nunca se esqueça que escreve para pessoas. Somos todos humanos, com sentimentos e vontades, variações de humor, dias difíceis, pensamentos díspares e esse é o fator mais difícil que entra nesta equação.

 

5. Desempenho depende dos dias, mas também do tipo de conteúdo

Há determinado tipo de conteúdo que não funciona num determinado negócio e funciona noutros, há determinado tipo de conteúdo que não funciona à segunda-feira mas à sexta-feira é o dia ideal. É preciso testar. Mais uma vez. Fácil de dizer, mais difícil de fazer.

 

6. Desempenho das publicações depende do tipo de negócio

Chegados a este sexto ponto, a realidade nua e crua: a sua empresa pode não ser o negócio mais atrativo para comunicar nas redes sociais.

Se se esforçou com várias publicações, testou diferentes horas e dias de publicação, testou diferentes tipos de conteúdo e apostou em conteúdo visual, como imagens e vídeos. Se dinamizou com regularidade as suas redes sociais, publicou com coerência e constância, produziu conteúdo rico, de qualidade e com interesse a pensar nas personas do seu negócio e, mesmo assim, a presença da sua empresa nas redes sociais não tem o resultado esperado, esta pode ser mesmo a explicação.

Com isto não quero dizer que não tem utilidade a sua presença nas redes sociais. Tem, claro. Como pode não ter, se é onde estão as pessoas? Só precisa de ter expetativas reais sobre o que vai conseguir alavancar.

 

7. A página cresce, o comportamento muda

Esta questão é óbvia, mas ainda assim achei pertinente referir. Já referimos a importância de monitorizar tudo, de estar sempre a analisar e tirar conclusões. Este é um reforço positivo a essa ideia.

A página cresce, o comportamento do público-alvo tendencialmente muda e é necessário atualizar práticas a essa realidade. As melhores horas de publicação são outras, os gostos também. A ideia é: não se acomode, nunca. É exigente, trabalhoso, mas compensatório.

 

8. O que importa medir?

De uma forma lata? Alcance, gostos, comentários e partilhas.

O que o Facebook privilegia? Interatividade e relacionamento, logo gostos, comentários e partilhas. Quantos mais melhor! Este é o seu melhor critério para ver o desempenho. Contudo, se as publicações ainda não têm este retorno de envolvimento, como medir? Que critério usar? Alcance.

Seja prático, mas rigoroso na forma como mede os resultados das suas publicações!

 

9. Facebook, porque no fundo é ele quem manda

Por mais esforços que faça, por mais boas práticas que tenha, o Facebook é quem manda. Está constantemente em reformulações e adaptações, em melhorias contínuas, privilegia algo num momento e passado um tempo, já privilegia outra, em detrimento dessa. É preciso estar muito atento, respeitar rigorosamente cada medida que o Facebook determina como útil e que valoriza, para que os resultados tenham o melhor impacto possível.

 

Para o ajudar a melhorar o seu trabalho de publicação no Facebook, disponibilizo-lhe o documento de registo que usamos na Link&Grow para controlo do desempenho de publicações. Um relatório de desempenho onde poderá apontar o alcance de cada publicação, número de gostos, comentários e partilhas. Aconselho a que o faça no final de cada mês, porque há publicações que vão potenciando no período de 30 dias. Pela minha experiência, passado esse tempo, não existem grandes variações ou mesmo nenhumas. Espero que seja útil!

Facebook_1