Email Marketing: 9 Dicas Essenciais Para Ter Sucesso!

Email-marketing

Email marketing continua a ser uma poderosa ferramenta de comunicação entre clientes, potenciais clientes e empresas, apesar do que muitos possam dizer ou pensar. Criou-se a ideia de que o uso do email perdeu força, credibilidade e efeito, de que perdeu o peso que já teve. Em certa medida pode admitir-se estas afirmações, ainda que não correspondam à verdade. Pode admitir-se se pensarmos nos emails que eram enviados quando esta prática se alicerçou. Os emails enviados em massa, sem segmentação de públicos e portanto sem direcionamento da mensagem a cada um deles, sem grande preocupação estética e de conteúdo, já não funcionam. Tiveram o seu momento mas hoje em dia efetivamente já não são eficazes. Se estivermos a pensar neste tipo de email marketing, parado no tempo, então o que foi dito anteriormente tem validade. Contudo, esta poderosa ferramenta de comunicação evoluiu e evoluiu para melhor e sem dúvida que é um excelente canal para gerar relacionamento e conversões, para fomentar credibilidade da empresa e conduzir a vendas. Não é por acaso que as grandes empresas o privilegiam. Qual o truque afinal? A verdade é que hoje em dia quase toda a gente tem um email – muitos até têm mais do que um - e quase todos têm facilidade de acesso à internet – a todo o momento, em todo o lado, em diferentes dispositivos. Quase toda a gente vê o email com regularidade, muitos fazem-no todos os dias e outros até mais do que uma vez por dia e este é um contacto que facilmente as pessoas estão disponíveis a entregar. Objetivamente existem condições para potenciar esta ferramenta mas falta o essencial, falta a pessoa ter vontade de abrir o email que recebe. Pensemos no nosso caso individual. Pergunte-se: quantas vezes vai ao seu email? Quantos emails recebe? E quantos abre? E quantos rejeita? Qual o critério? Muitas são as variáveis mas pode ter a certeza que muito também depende de si e do trabalho da sua empresa no que toca ao email marketing. Se planear tudo como deve ser, dedicando-se no momento da criação dos emails, desde o seu conteúdo, adequado a quem se dirige, à sua estética ou às questões mais técnicas, pode ter a certeza que verá resultados. Nós vamos ajudá-lo nesse trabalho mas o empenho tem que ser seu! Tem aqui 9 dicas para aplicar no seu email marketing e apostar nesta ferramenta de comunicação, com resultados efetivos a cada envio!

 

1. Lista de emails fidedigna – não se iluda com listas de emails pagas!

Esta dica é muito simples: de nada adianta ter muitos emails na sua base, se foram comprados. Esta é uma prática que desaconselhamos por completo já que é uma lista desqualificada, cujas hipóteses de retorno do investimento são muito pequenas. Neste tipo de comunicação não interessa criar ilusões. Os emails que dispõe devem ser de pessoas que demonstraram mínimo interesse na sua empresa, negócio ou serviço, em qualquer momento, nem que fosse para saber mais informações. De nada interessa emails de pessoas aleatórias, sem qualquer ligação consigo!

 

2. Segmente a informação: direcione para o seu público-alvo

Um bom email marketing pressupõe informação direcionada, a um público segmentado. Quanto mais precisa for a mensagem para o público-alvo mais eficaz será e mais resultados terá. E como segmentar a sua lista de emails? Muitos podem ser os critérios para o fazer, tem que pensar no seu negócio, na sua empresa, olhar para os emails que dispõe e decidir qual a melhor segmentação. Deixamos aqui apenas alguns exemplos:

  • segmentar por personas, pressupondo que as tem definidas. Diferentes personas têm diferentes problemas para resolver e portanto a comunicação deve ser adequada no sentido de dar resposta a essas necessidades.
  • segmentar por cargos. Vamos pensar em áreas de negócio e nos seus diferentes cargos. O papel de um responsável da área comercial não é o mesmo que o de um responsável da área do marketing. Enfrentam diferentes dificuldades no seu dia-a-dia, o trabalho não é o mesmo e portanto os interesses de informação não são iguais.
  • segmentar por área de atuação da empresa, por exemplo, saúde, tecnologia, e-commerce, etc…
  • segmentar na origem do clique, ou seja, enviar um email sempre que alguém clica num determinado link, relacionado com esse assunto.
  • segmentar em função dos que podem ser clientes e os que já o são e fornecer diferentes informações para cada um deles.
  • segmentar em função do sexo, se fizer sentido. Vamos a um exemplo. Uma marca com loja on-line, que tem uma campanha activa de produtos para as mulheres e outros para homens. Pode ser útil, promover essa campanha por email, selecionando os melhores produtos para as mulheres e enviar um email personalizado para elas e fazer o mesmo para os homens.

 

3. Preocupação com as imagens: absolutamente obrigatório

A primeira ideia a reter é esta: tem tudo a ganhar com conjugar texto e imagem. Não é por acaso que se diz que uma imagem vale mais do que mil palavras. A conjugação de elementos visuais com texto ajuda a leitura, desperta o interesse e portanto é uma dica valiosa para tornar os seus email mais atrativos. Contudo, enviar uma imagem para o corpo de email é uma péssima prática e infelizmente ainda muito em voga. A verdade é que a maioria dos serviços vai, por padrão, bloquear essa imagem e a eficácia do envio do seu email vai cair em pique. Quantas vezes não abriu um email e a imagem deu erro e não apareceu? É por esta má prática. Nós não queremos colocar uma imagem que pode não abrir automaticamente na maioria dos emails, queremos sim, um email esteticamente bem conseguido, com imagens e e textos, que abra , sempre, com rapidez e facilidade.  Como podemos garantir isso?

  • construir o email marketing em formato HTML e distribuir o conteúdo entre texto e imagens;
  • usar alt tags nas imagens, colocando sempre um texto que as descreve;
  • colocar links nas imagens, para o caso de não serem exibidas, puderem ser clicadas;
  • ter em atenção o tamanho da imagem e evitar que sejam muito pesadas porque vão demorar tempo a carregar

 

4. Más práticas são referência de SPAM – evite-as!

Há determinadas características associadas a SPAM que devem ser evitadas quando se constrói um email. Ninguém quer ter todo o trabalho de preparar um processo de email marketing para ir parar ao SPAM. Então decore:

  • Não escreva emails com a cor vermelha;
  • Limite o assunto a cerca de 50 caracteres e sem caixa alta;
  • Evite usar em demasia termos como promoção, free, clique aqui, grátis, crédito, etc;
  • Não exagere no uso de acentos gráficos como !, ?, !!!

Estes são os elementos básicos e obrigatórios que deve evitar e se o fizer já é um bom passo de boas práticas mas fique a saber que há muitos outros detalhes que caracterizam SPAM.

 

5. Mais variedade, mais resultados

Quanto mais variados forem os seus emails, mais hipóteses terá de bons resultados, quanto mais emails construir, mais segmentados eles serão, mais direcionada será a comunicação e portanto mais eficaz. Faça diferentes tipos de emails para atingir os mais variados momentos de compra. Por exemplo:

  • envie newsletters com informações relevantes e notícias;
  • elabore emails promocionais: anuncie ofertas, descontos, promoções;
  • desenvolva nutrição de leads: promova conteúdo direcionado para cada ponto da jornada de compra;

Mais variedade não significa excesso de quantidade. Tem que haver razoabilidade e portanto tenha cuidado, seja ponderado no envio de emails. Não se esqueça nunca da pertinência do envio, enviar por enviar não faz sentido nenhum e envio em excesso, sem interesse, pode virar um SPAM.

 

6. Frequência certa é essencial

Não usar uma ferramenta de email marketing é tão ou mais prejudicial do que usar sem critério, de forma exagerada e contínua.  É fundamental descobrir o ponto de equilíbrio da frequência de envio. O excesso de emails incomoda e faz com que muita gente cancele subscrições, ignore emails ou crie sentimentos antagónicos de negativos relativamente à proveniência dos mesmos. Por outro lado, quando não há envio regular, não há proximidade entre empresa/cliente/potencial cliente e até causa estranheza quando algum email é recebido. O mínimo dos mínimos é um envio mensal.

O melhor nesta matéria é estudar as suas personas, as suas necessidades e qual a melhor forma de com elas comunicar. Planificar os conteúdos mensalmente é uma boa estratégia. Assim pode distribuir os envios ao longo do tempo e criar coerência e regularidade, de forma ponderada.

 

7. Escolher o melhor timing faz diferença

O dia e hora do envio de um email faz diferença e depende do comportamento do seu público-alvo. Hoje em dia, emails são enviados a toda a hora e não são raros os casos de pessoas com contas de emaisl e caixas de entrada repletas de emails por abrir. Muitas vezes até se deixam de ler emails importantes no meio de tanta confusão. Esta é apenas uma das razões pelas quais o dia e hora do envio de um email faz a diferença. Vamos supor que envia um email logo de manhã, para uma das suas personas, que só costuma ir à caixa de email ao final do dia de trabalho, por volta das 18h. Consegue imaginar quantos emails foram enviados desde que envio o seu, entre as 9h e as 18h? Consegue imaginar como o seu email fica perdido no meio de tanta informação? E se tivesse enviado às 18h? Se calhar seria logo um dos primeiros a ser vistos aquando da abertura do email certo?

Parece um pormenor mas faz toda a diferença e não são raros os casos em que o timing gera mais ou menos cliques, mais ou menos conversões. Estude bem qual o melhor horário e dia para os seus envios, escolha o momento em que o seu público-alvo tenha a caixa aberta e possa agir sobre a mensagem.

 

8. Nunca envie um email sem autorização

Esta ideia é muito simples, se ninguém lhe deu autorização para enviar informação, não o faça. Como também não o faça se não tiver interesse, se não for relevante.

Procure ter sempre a sua lista de emails atualizada e limpa, com quem quer efetivamente ter informações suas. Exclua os emails que cancelaram a subscrição, respeite as decisões porque não vale a pena e não faz sentido comunicar para quem não quer.

 

9. Acompanhe as métricas, analise, tire conclusões e melhore

Hoje em dia é possível medir os resultados do email marketing e isso é fundamental para melhorar o trabalho. A taxa de abertura, por exemplo, pode indicar problemas no horário, assunto ou histórico de envios. A taxa de cliques pode indicar problemas na qualidade do conteúdo ou na segmentação da mensagem. Uma boa relação entre estas duas taxas é a de 15%-2%.

Analise estes dados, estude-os, faça experiências e melhore o seu trabalho. Quanto melhor comunicar, mais eficaz será!

 

Estas são apenas algumas dicas para o ajudar a ter mais sucesso com o email marketing e a potenciar esta poderosa ferramenta de comunicação. Não desperdice mais tempo, organize a sua lista de emails ou trabalhe-a de forma a que fique atualizada e limpa, segmente-a em função das suas personas e interesses e comece já a comunicar! Conte sempre connosco para esclarecer qualquer dúvida que tenha e diga-nos o que pensa. Queremos ouvir a sua opinião!

 

Email-marketing_3