8 Dicas essenciais para fazer Testes A/B

testes-A/B

Quando foi a última vez que o seu chefe lhe disse, “Já temos leads suficientes por hoje. Porque não vais para casa?”

Pois… Vou arriscar dizer que isso nunca aconteceu. Porquê? De acordo com alguns estudos, somente cerca de 28% dos marketers estão satisfeitos com as suas taxas de conversão. Por isso, é mais do que provável que a sua equipa se inclua nos “não satisfeitos”.

Uma das melhores formas de melhorar essas taxas é abraçar a matemática da questão e fazer um teste A/B. Estamos a falar de um tipo de experiência que consiste na criação de duas versões diferentes da mesma peça de conteúdo (como uma landing page, email ou call-to-action) dirigidas a duas audiências de tamanho semelhante para ver qual deles funciona melhor.

Se é um daqueles marketers que não está satisfeito com as suas taxas de conversão, continue a ler. Eu mostro-lhe o processo desde o design, implementação e medição de um teste A/B. E poderá usar este processo para qualquer coisa no seu marketing – vamos explicar o processo utilizando as calls-to-action (CTA’s) neste exemplo.

Pronto? Aqui vamos nós.

1. Decida o que testar

O melhor dos testes A/B é que além de testar duas peças de conteúdo, poderá testar tanto pequenos como grandes elementos do seu marketing. Pode testar algo pequeno como a cor da CTA ou algo grande como uma página inteiramente redesenhada.

A única coisa que precisa de ter em mente sempre que acrescentar diferenças entre as duas peças de conteúdo é que só poderá atribuir os resultados de cada peça que está a testar como um todo e não só a diferenças individuais. Isto é, se estiver a testar duas versões de uma landing page, onde numa delas mudou a CTA, a extensão do formulário, a imagem utilizada e o texto do título, não poderá atribuir o sucesso dessa landing page somente à extensão do formulário. Terá de atribuir o sucesso a todos estes elementos.

 

2. Defina o objectivo do seu teste e como medi-lo

Para fazer um teste A/B bem-sucedido, não podemos decidir o que testar e já está. É necessário pensar mais a sério sobre onde quer chegar com o seu teste. Quer medir como a cor da CTA influencia a quantidade de pessoas que clicam nela? É o teste mais directo que pode fazer. Mas poderá também testar se a cor influencia o número de vezes que as pessoas clicam nessa CTA. Pense nisso.

 

3. Defina as versões de controlo e tratamento

Os conceitos de controlo e tratamento são muito simples. O controlo é, basicamente, a versão A do seu teste – o que normalmente usa como landing page, email, CTA, título, etc. O tratamento é a versão B, a versão que contém as mudanças que deseja testar.

 

4. Crie o seu teste A/B e publique-o

Assim que tenha delineado como vai funcionar a sua experiência, avance para o teste.

Primeiro, desenhe e crie o conteúdo para o controlo e tratamento: no exemplo que mostramos abaixo, a CTA a cinzento e a CTA a azul, respectivamente. Repare como a única diferença entre os dois é a cor – o copy e imagens utilizadas são as mesmas nos dois. Desta forma, podemos testar claramente que efeito tem a cor nos cliques obtidos.

Variação A:

testes-ab-variacao-a

 

Variação B:

testes-ab-varante-b

 

5. Promova o seu teste

Se quer que o seu teste tenha algum sentido, isto é, que seja estatisticamente significativo, vai precisar de o promover bastante. Envie um email para uma lista suficientemente grande, promova a sua landing page nas redes sociais ou utilize até o adwords no link do blog onde está a utilizá-lo para que obtenha bastantes visualizações.

Tenha em mente que se estiver a fazer o teste para uma audiência específica, deve manter os anúncios direccionados unicamente para essa audiência. Por exemplo, se está a tentar perceber como reage a sua audiência do email, não deverá testar os conteúdos no Facebook ou Twitter!

 

6. Recolha informação até se tornar relevante

Agora vem o jogo da espera. Continue a promover o seu teste até ser estatisticamente relevante, que é como quem diz até que os resultados já não sejam obtidos por acaso. Assim que chegar a esse ponto, já conseguirá ver se o tratamento é mais eficaz que o controlo.

Mas e se nunca chegar a resultados relevantes? Espere mais uns dias. Por vezes podem ser necessários 30 dias para obter tráfego suficiente para o seu conteúdo. Dito isto, se já passou um mês e ainda não viu resultados relevantes, então provavelmente o seu teste não terá grande impacto no número de conversões. Não tenha medo de avançar para outra experiência.

 

7. Analise o funil de marketing

Ok. Agora já sabe se o seu teste funcionou ou não para as métricas que estabeleceu. Fantástico! Mas não pode parar por aqui.

Apesar de lhe ter dito para se focar apenas numa métrica, este é o momento do teste em que pode olhar além do objectivo que lhe deu para ver se teve efeitos em mais alguma parte do funil de marketing.

Poderá parecer estúpido pensar que mudar a cor da CTA pode ter outro impacto que não o número de cliques, mas pode acontecer! Se tiver ferramentas para isso, tente analisar se quem clicou nesta nova CTA se tornou cliente. Talvez a alteração que testou tenha feito clientes mais rapidamente.

É, provavelmente, uma afirmação ridícula mas percebe onde quero chegar. Ao olhar para outras partes do processo, pode descobrir que o seu teste A/B teve resultados inesperados. E se esses resultados forem bons, poderá apostar nisso.

 

8. Repita baseado nas suas descobertas

Já recolheu a sua informação e verificou se o seu teste A/B teve consequências inesperadas. Está feito!

Estou a brincar. Terminou o seu primeiro teste A/B – e é motivo de celebração – mas há muito mais a testar. No exemplo que demos da CTA poderá tentar colocá-la noutro local da página ou verificar se um texto diferente tem influência no número de cliques.

Ou então não confia nos resultados que obteve. Talvez tenha feito o teste numa altura de férias e obteve pouco tráfego – isso não é indicativo de como a sua audiência normalmente se comporta. Faça o teste novamente em período regular de trabalho.

Se estiver sempre em testes, poderá conseguir grandes avanços nas suas taxas de conversão. E, já agora, talvez consiga fazer o chefe pensar que está muito satisfeito com a sua equipa de marketing e as taxas de conversão que conseguem! Boa sorte!

marketing-digital-empreendedores

Já conhece o nosso E-book: "Marketing Digital para Empreendedores" ?

Fica o convite para baixarem este fantástico e-book de forma GRATUITA e descobrir mais dicas que lhe serão muito úteis!